22 de mar de 2016

Sly 2: Band of Thieves - analise.


Depois do sucesso do Sly Cooper: And Thieves Raccunos, com a nota 86  no Metacritic, a Sucker Punch lança a sua sequencia, titulada como Sly 2: Band of Thieves em 2004, e posso dizer que a Sucker Punch usou tudo de si para o desenvolvimento do game, e você vai saber o porque.



Sly 2 é um exemplo de como as sequencias devem ser feitas. O game traz todas as qualidades que fizeram dele um jogo de plataforma acima da média, muitas mudanças ocorreram desde o seu primeiro jogo para o segundo, muita coisa mesmo, e estarei falando sobre elas logo abaixo.

SINOPSE (RESUMO):
Como o objetivo do primeiro jogo foi realizado, agora a Gangue Cooper tem um problema muito maior. Seu arqui-inimigo, Clockwerk, foi derrotado no primeiro jogo, mas agora o problema é que todas as partes da Clockwerk está espalhada por varias partes do mundo, então a gangue Cooper tem que recuperar essas partes que estão sendo usadas para muitas coisas como fabricar dinheiro falso, governar um reino, e muito mais.  O desenrolar da trama está muito mais interessante, com personalidades mais interessantes e um enredo cheio de surpresas, tudo com o típico estilo da Sucker Punch.

NOVA MECANICA:
O jogo continua com o Stealth, ainda fácil, porém mais puxado do que o seu primeiro jogo, pois a maioria das missão exige que o jogador seja furtivo e passe sem ser visto. Diferente do seu primeiro jogo, esse está muito diferente. Agora todos os personagem da gangue são jogáveis, como o Bentley e o Murray e todos possui uma utilidade diferente. Bentley é o cérebro, você o usa para hackear sistema de segurança, desativar alarmes. O murray é o músculo, você o usa em uma briga ou para carregar coisas pesadas.


O jogo mudou de genero de uma hora pra outra, antes sendo apenas um jogo de plataforma 3D, agora se tornou um jogo SandBox (mundo aberto), onde você pode explorar a cidade, roubar o dinheiro dos  bolsos dos inimigos e comprar habilidades que será usada pelo os personagem ao decorrer do jogo como: correr silenciosamente, derrotar inimigos furtivamente, paraquedas, bombas relógio, etc. O jogo agora também possui elementos de Parkour, usados para pular de casa em casa, escalar prédios e até mesmo escalar postes, mas nem todos os personagens fazem tudo isso, pois o mais agilidoso é o Sly, ele faz tudo que os outros da gangue não faz, como se equilibrar na ponta de um precipício, assim como você está vendo na foto acima.

MUITAS MISSÕES, MAS APENAS UM OBJETIVO:


O jogo possui 8 capítulos, todos são bem longos e cheio de missões, mas essas missões levam a apenas um objetivo: Roubar alguma parte da Clockwerk que sempre estará nas mãos dos vilões. A fases deixaram de ser repetitivas e lineares, agora o novo sistema de missão é oque rouba a cena do jogo. Estas podem ser realizadas em qualquer ordem que o jogador desejar e trazem muita variedade - dá gosto ver momentos clássicos como a dança com a policial Carmelita Foxx para distrair a rival/interesse romântico durante um roubo... tudo isso na forma de um mini-game integrado à ação. Os planos são tão ousados e interessantes como os de "Onze Homens e um Segredo", mantendo o jogador grudado até o final.

Perseguições, espionagem, roubo. Muitas variedades de missões:



















Como eu disse, as missões são bem variadas, algumas você tem como objetivo invadir o castelo do Boss disfarçado, mas pra isso você tem que ter um disfarce obviamente, então você precisa roubar a roupa de algum civil, pra fazer isso precisa invadir uma moradia e vasculhar até achar calças, luvas, paletós e sapatos. Depois que o primeiro objetivo foi completado, só falta você se disfarçar e se infiltrar no castelo e completar o roubo. Outras exigem perseguições, na qual o jogador é obrigado a seguir o Boss para descobrir o seu esconderijo secreto, para depois invadi-lo. E outros variados tipos de missões.


PERSONAGENS CARISMÁTICOS E CHEFÕES MARCANTES.



Pra quem é fã de longa data do game, com certeza vai concordar que o jogo tem personagens marcantes, seja ele vilão ou não, na maioria das vezes, são carismaticos e adorados pelo os fãs da saga, como por exemplo o marcantes vilões: Dimitri (Vilão do primeiro capitulo), Rajan ( Vilão da foto acima), Jean Bison, entre outros.


Além dos vilões, também existem os antagonistas da serie que também são muito carismaticos, como a Camerlita Fox, Consteble Neyla, entre outros que entrarão na gangue durante o decorrer da franquia.






Claro, nem todos são tão adorados, existem alguns personagens que são odiaveis pelo os fãs do jogo, temos como exemplo o Arpeggio, um dos vilões mais irritantes, líder da Klaww Gang (gangue que roubou as partes da Clockwerk e a espalharam pelo o mundo) e também a Contessa, que também é uma membro da Klaww Gang.





Protagonistas adoráveis:



Sly Cooper:
Entre os protagonistas temos o Sly Cooper, o líder da gangue. Sly Cooper se torno um Orfão depois que a gangue "5 diabolicos" que nela inclua a arqui inimiga ClockWerk matou toda a família Cooper, Sly viu a morte de seus pais enquanto estava escondido dentro de um armário, pois seu pai o queria protege-lo e o escondeu la, para que não fosse morto pelo os 5 Diabólicos.


Sly é o mais ágil de toda a gangue, podendo escalar postes, se equilibrar em fios, usar sua bengala com Rapel ou Tirolesa. Ele faz tudo oque os outros membro da gangue não fazem.

Sly Cooper é um ladrão, mas é um ladrão que rouba de outros ladrões.




Bentley:
O cérebro do grupo, o mentor, o mais inteligente. Bentley usa um arco e flecha, mas não mata, na flecha contém soniforo, que servem apenas para dopar os seus oponentes e os colocarem para dormir.  É o Bentley que bola todos os planos dos assaltos, é o membro mais importante do grupo, pois afinal, a inteligencia é tudo.


Murray:


O musculo, a força bruta. Digamos que o Murray seja usado apenas em brigas ou para carregar coisas pesadas. Ao mesmo tempo que ele é forte, ele é meio pateta, é o mais engraçado do grupo, o piadista por assim dizer, está sempre com fome e na maioria das vezes só pensa em comida. Ele é muito util no grupo, pois ele sempre está disposto a ajudar, seja como como for, a gangue sempre pode contar com o Murray.  
Todos esses personagens são jogáveis, mas só é possível controla-los quando o jogador vai até o esconderijo e seleciona tal personagem. A cada capitulo é um novo esconderijo, pois cada capitulo se passa em um país diferente.

Ex: França, Índia, Canadá.


AMBIENTAÇÃO E CENÁRIOS:
A ambientação do jogo é muito dinâmica, com graficos 3D trás uma impressão de desenho animado por causa de seus traços infantis. Tudo é muito bem feito e da gosto de jogar. 

Os cenarios como eu disse são com gráficos feitos na terceira dimensão com traços infantis. Os mapas do jogo não são muito grandes, não pode comparar de jeito nenhum com um "GTA" ou "Assassins Creed" quando se trata de "mapa" pois eles são muito simples e pequenos. Mas não incomoda, pois a diversão é garantida.

JOGABILIDADE:
A jogabilidade não é nada complica, é bem simples. X pula e apertando duas vezes da um pulo duplo (Mortal). Quadrado ataca, mantém apertado e realizará um ataque especial, Bolinha você interage com o cenário e objetos, triangulo da um ataque que joga o inimigo para o alto. O movimento do personagem é bem fluído e bem feito. Apertando o botão L3, será mostrado pelo o cenário a localização da sua missão, e o R3 ativará o binoculo, que também irá mostrar a localização da sua missão, e te dá a possibilidade de observar o cenario.


CONCLUSÃO: 
Infelizmente Sly Cooper não é uma franquia muito conhecida pelo o publico gamer, são poucos que já jogaram e que já ouviram falar. Mas é um jogo que não deixa de impressionar quem joga pela a primeira vez. Mas mesmo assim o jogo foi um sucesso com a nota do Metacrict, ganhando 88 de 100.


"Sly 2" é criativo, divertido e extremamente estiloso. Quem acredita que uma boa jogabilidade deve estar casada com uma apresentação de qualidade não tem motivo para não jogar esse game.

NOTA: 10 - Imperdível. 




O post foi

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...